A Câmara Municipal aprovou nesta quarta-feira (2/5) os parâmetros do Projeto de Intervenção Urbana (PIU) do Anhembi, autorizando a construção de 1,68 milhão de metros quadrados no complexo a ser privatizado. Era a última pendência no Legislativo para que o governo Bruno Covas dê andamento à venda do Anhembi, o que deve ocorrer até setembro. Emenda do vereador Police Neto (PSD), incorporada ao substitutivo do Projeto de Lei 11/2018, determina que os recursos obtidos pela Prefeitura como contrapartida para construir até esse limite, a chamada outorga onerosa, sejam investidos na própria Zona Norte, no perímetro onde fica o Anhembi.

Em dezembro, outra emenda do vereador já havia garantido que 20% dos recursos arrecadados com o leilão das ações da SPTuris, que controla hoje o Anhembi, sejam investidos obrigatoriamente na Zona Norte, nas áreas de Habitação, Saúde, Educação, Segurança ou Mobilidade.

Com base no valor de mercado da SPTuris, o vereador calcula que esses 20% da venda alcancem R$ 120 milhões. Já o valor da outorga onerosa, de acordo com as regras já determinadas, pode chegar a R$ 325 milhões de reais. Assim, a soma das duas iniciativas alcança R$ 445 milhões.

“É claro que pode haver alteração nesses valores dependendo do interesse da iniciativa privada, mas o fato é que a Zona Norte não recebe investimentos públicos há bastante tempo”, diz Police Neto. “Nada mais justo que a área onde está o Anhembi seja a principal contemplada.”

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar